Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.inpa.gov.br/handle/1/12973
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSchöngart, Jochen-
dc.contributor.authorVilla Zegarra, Boris Eduardo-
dc.date.accessioned2020-02-21T15:53:41Z-
dc.date.available2020-02-21T15:53:41Z-
dc.date.issued2017-06-30-
dc.identifier.urihttps://repositorio.inpa.gov.br/handle/1/12973-
dc.description.abstractThe general objective of this study was to characterize a white sand forest analyzing dominant species of this ecosystem in order to obtain nformation on the distribution of aboveground and belowground biomass, to develop allometric equations to estimate dry wood biomass and to analyze the growth dynamics of the dominant white sand forest species in the Sustainable Development Reserve (RDS) of Uatumã, located in the municipality of São Sebastião de Uatumã, in the State of Amazonas. The study was structured in three chapters. In the first chapter the distribution of tree biomass in its components aboveground (trunk, branches and leaves) and belowground (total and fine roots) was analyzed. Using the destructive method, 70 trees were felled from six characteristic tree species of the white sand forest of RDS Uatumã. All the components were weighed in the field. Moisture contento of wood was determined to obtain the dry biomass. The basic wood density and moisture content for each species were determined. The sum of the total dry biomass of the sampled trees, the contribution of carbon and CO2 were 20.69±0.33 Mg; 10.34±0.16 Mg C e 37.93±0.60 Mg CO2 respectively. The species that most contribute to dry biomass were in decreasing order: Aldina heterophylla, Sacoglottis guianensis and Manilkara cavalcantei. The distribution of dry biomass components was: trunk (54.8%), branches (34.6%), main root (8.8%) and leaves (1.8%). The average wood density for the species was 0.72±0,08 g cm-3, ranging from 0.64 to 0.86 g cm-3. The dry total biomass of total and fine roots (BSR) in the permanent monitoring plots (PPM) of the white sand forest on average was 46.2±15.7 and 7.4±3.6 Mg ha-1 respectively. In the first 20 cm of soil depth 86% of the total root biomass is concentrated, being an environment with a high investment in the superficial layers due to the concentration of nutrients as it was analyzed in the profile of distribution of the main macronutrients. In the second chapter, allometric equations were adjusted to estimate aboveground woody dry biomass (BSLAS) by mathematical models. The dendrometric parameters of 70 trees of six dominant tree species in the campinaranas of the RDS Uatumã were used for model calibrations. The independent variables used in the equations were diameter at breast height (DBH), total height (HT) and basic density of wood 11 (DB). The best estimates for BSLAS were obtained by logarithmic equation using the three variables. The average of BSLAS estimated with the best model was 157±31 Mg ha-1, with R2ajd (adjusted coefficient of determination) = 0.94; Syx% (standard error of the estimate in percent) = 3.314; DIC (Information Criterion) = 664.4; CF (correction factor) = 1.019 and a homogeneous distribution of the residuals. Specific allometric equations were developed for the six studied species. The adjusted equations were contrasted with other regional equations and pantropical models indicating the equation of Chave et al. (2005) as the best equation to estimate BSLAS in white sand forest. In the third chapter the wood anatomical features of the six dominant tree species were described. Based on this tree-ring analyses were performed to estimate tree age, mean annual increment (IMA) in diameter, tree height and aboveground dry wood biomass. The average age of the 70 trees of the six species was 78±26 years, ranging from 16 to 232 years. The average IMA in diameter of the six species was 2.78±1.22 mm yr-1. These low IMA values of the species are mainly related to the low soil fertility in the campinaranas compared to other forest types with more nutrient rich soils (terra firme and várzea). Growth models were developed for the six dominant tree species in diameter, tree height and aboveground wood biomass to estimate the productivity in the PPM of the RDS Uatumã. The average productivity for the whites sand forest of RDS Uatumã was 1.08±0.43 Mg ha-1 year-1. This low productivity, compared to other forest types in the Amazon sucha s floodplain (igapó and várzea) and terra firme forests indicate that these ecosystems are priority areas for conservation.pt_BR
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherInstituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - INPApt_BR
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectBiomassa florestalpt_BR
dc.subjectEquações alométricaspt_BR
dc.subjectCampinaranapt_BR
dc.titleBiomassa florestal e equações alométricas para estimar carbono em uma floresta de campinarana na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Uatumã, Amazônia Centralpt_BR
dc.typeTesept_BR
dc.contributor.co-advisorWittmann, Florian-
dc.identifier.author-latteshttp://lattes.cnpq.br/7454052193490720pt_BR
dc.publisher.programClima e Ambiente - CLIAMBpt_BR
dc.description.resumoO objetivo geral deste trabalho foi caracterizar uma floresta de campinarana analisando espécies dominantes deste ecossistema com a finalidade de conhecer a distribuição de biomassa florestal acima e abaixo do solo, desenvolver equações alométricas para estimar biomassa seca lenhosa e estudar a dinâmica de crescimento destas espécies da campinarana na Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Uatumã, localizado no município de São Sebastião do Uatumã, no Estado de Amazonas. O trabalho foi dividido em três capítulos. No primeiro capítulo analisou-se a distribuição da biomassa nos componentes da árvore acima do solo (tronco, galhos e folhas) e abaixo do solo (raízes totais e finas). Utilizando o método destrutivo foram abatidas 70 árvores de seis espécies florestais das campinaranas da RDS Uatumã. Todos os componentes foram pesados em campo. Em seguida, foi descontado o teor de umidade para obter a biomassa seca. Foram determinados a densidade básica da madeira e teor de umidade para cada espécie. A soma da biomassa seca total das árvores derrubadas, a contribuição de carbono e CO2 foram 20,69±0,33 Mg; 10,34±0,16 Mg C e 37,93±0,60 Mg CO2 respectivamente. As espécies que mais contribuíram em biomassa seca em ordem decrescente Aldina heterophylla, Sacoglottis guianensis e Manilkara cavalcantei. A distribuição da biomassa seca nos componentes foi: tronco 54,8%; galhos 34,6%; raiz principal 8,8% e folhas 1,8%. A densidade básica da madeira em média para as seis espécies foi de 0,72±0,08 g cm-3, variando de 0,64 até 0,86 g cm-3. A biomassa seca de raizes (BSR) total e finas nas parcelas permanentes de monitoramento (PPM) das campinaranas em média foi de 46,2±15,7 e 7,4±3,6 Mg ha-1 respectivamente. Nos primeiros 20 cm de profundidade a contribuição total de biomassa das raizes foi de 86%, sendo um ambiente com um alto investimento nas camadas superficiais devido a uma maior fertilidade do solo como foi analisado no perfil de distribuição dos principais macronutrientes. No segundo capitulo foram ajustadas equações alométricas para estimar biomassa seca lenhosa acima do solo (BSLAS) a partir de modelos matemáticos. Foram utilizados os parâmetros dendrométricos das 70 árvores derrubadas de seis espécies arbóreas mais importantes nas campinaranas da RDS Uatumã. As variáveis independentes utilizadas nas equações foram o diâmetro altura de peito (DAP), altura total (HT) e densidade básica da madeira (DB). As melhores estimativas para BSLAS foram feitas por uma equação logarítmica utilizando as três variáveis. A média de BSLAS estimada com o melhor modelo foi de 157±31 Mg ha-1, e teve um R2aj = 0,94; Syx% = 3,314; DIC (Critério de Informação) = 664,4; CF (fator de correção) = 1,019 e uma distribuição homogênea dos resíduos. Foram desenvolvidas equações alométricas específicas para as seis espécies do estudo. As equações ajustadas foram contrastadas com outras equações regionais e pantropicais encontrando a equação de Chave et al. (2005) como boa preditora para estimar BSLAS nas campinaranas. No terceiro capitulo, foi feita uma descrição das estruturas anatômicas da madeira das seis espécies de campinarana estudadas. Foi realizada a análise dos anéis de crescimento para estimar a idade das árvores, o incremento médio anual (IMA) em diâmetro, altura e biomassa seca lenhosa acima do solo A idade média de 70 10 árvores de seis espécies foi de 78±26 anos, variando de 16 a 232 anos. O IMA médio em diâmetro das seis espécies foi de 2,78±1,22 mm ano-1. Esses baixos valores de IMA das espécies estão principalmente relacionados à baixa fertilidade dos solos nas campinaranas comparadas com outras florestas de solos mais ricos em nutrientes (florestas de terra firme e várzea). As espécies que alcançaram maiores incrementos foram Cybianthus sp. e Aldina heterophylla. Desenvolveram-se padrões de crescimento das seis espécies mais importantes da campinarana e sua produtividade nas PPM da RDS Uatumã. A produtividade média em biomassa lenhosa acima do solo para as campinaranas da RDS Uatumã foi estimada 1,08±0,43 Mg ha-1 ano-1, inferior com a produtividade estimada em outros tipos florestais com as florestas alagáveis (igapó e várzea) e terra firme. A lenta dinâmica indica que estes ecossistemas são áreas prioritárias de conservação.<br style=" font-style: normal; font-variant: normal; font-weight: normal; letter-spacing: normal; line-height: normal; orphans: 2; text-align: -webkit-auto; text-indent: 0px; text-transform: none; white-space: normal; widows: 2; word-spacing: 0px; -webkit-text-spt_BR
Appears in Collections:Doutorado - Cliamb

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese BorisVilla (1).pdf3,2 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons