Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.inpa.gov.br/handle/1/36690
Title: Portaria n. 025/2019: Designa Representante Para Acompanhar e Fiscalizar Execução de Contrato.
Keywords: Fiscalização de contrato
Issue Date:  1
metadata.dc.description.consideration: CONSIDERANDO as normas constantes do art. 37 da Constituição Federal e no art. 65 a 88 da Lei nº 8.666/93 e a necessidade de disciplinar a execução dos contratos, CONSIDERANDO o que preceitua os artigos 65 a 88 da Lei n° 8.666, de 21 de junho de 1993, atualizada; e CONSIDERANDO a necessidade de disciplinar a execução dos contratos,
metadata.dc.description.resumo: Designar a servidora MARIA AUXILIADORA DA SILVA COSTA, Matrícula SIAPE nº 01297919, para acompanhar e fiscalizar a execução do Contrato 014/2018 - vinculado ao Processo 01280.000032/2018-14, firmado entre o INPA e a FUNDAÇÃO COORDENAÇÃO DE PROJETOS, PESQUISAS e ESTUDOS TECNOLÓGICOS - COPPETEC, cujo objeto é a prestação de serviços para a utilização dos sistemas de informação ATRIO e dos serviços complementares que integram a solução ATRIO para gerenciamento dos 9 (nove) Programas de Pós-Graduação do INPA. Art. 2º – Aplicam-se as disposições desta Portaria, no que couber, aos convênios, ajustes e outros instrumentos congêneres celebrados por este Instituto. Art. 3º – Para fins do disposto nesta Portaria entende-se: I – Fiscalização: a averiguação da regularidade da execução do contrato que abrange o cumprimento de prazos, a verificação do material e do trabalho, admitindo testes, provas para carga, experiências de funcionamento e de produção e tudo o mais que se relacionar com a perfeição da obra, do serviço ou do fornecimento; II – Fiscal: é o servidor designado para acompanhar e fiscalizar a execução de contrato de forma que permita o cumprimento das cláusulas e condições nele pactuadas. O Fiscal no exercício de suas atribuições reportar-se-á sempre à Coordenação de Apoio Técnico e Logístico. Art. 4º – A Coordenação de Apoio Técnico e Logístico auxiliará os demais servidores e setores envolvidos na gestão, acompanhamento, controle e fiscalização dos contratos administrativos, competindo-lhe quando couber: I – fiscalizar o cumprimento das obrigações e encargos trabalhistas e sociais compatíveis com os registros, solicitando os comprovantes de pagamento que demonstrem sua regularidade junto ao Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e à Previdência Social, em relação ao mês da última competência vencida, compatível com o efetivo declarado, consoante legislação vigente e atualizada; II – solicitar folha de pagamento distinta e o respectivo resumo geral relacionando todos os segurados alocados na prestação de serviçosna forma prevista no artigo 225 do regulamento da Previdência Social; III – solicitar documentos que comprovem o fornecimento aos empregados dos benefícios que, porventura, estejam previstos no instrumento contratual; IV– fiscalizar os registros obrigatórios na Carteira de Trabalho dos funcionários prestadores de serviço no Órgão certificando se o valor do salário é o mesmo constante da planilha de preços aprovada pela Administração; V – promover e instruir procedimento para reequilíbrio econômico-financeiro, repactuação, negociação e reajustes; VI – controlar os prazos de vencimento dos contratos informando o término da sua vigência com antecedência mínima de noventa dias à Coordenação de Administração; VII – promover e instruir o procedimento para rescisão contratual; VIII – notificar a administração da necessidade de abertura de processo administrativo para a aplicação de penalidades em decorrência de não cumprimento ou falha na execução dos contratos; IX – manter cópia do termo contratual, de seus respectivos aditivos, da proposta da contratada e de outros documentos que possam dirimir as dúvidas relativas ao cumprimento das obrigações das partes; X – auxiliar a fiscalização na verificação do cumprimento da legislação e o disposto no artigo 71 da Lei nº 8.666/1993; XI – elaborar e aperfeiçoar os contratos administrativos com o auxílio do Fiscal; Art. 5º– A Fiscalização desenvolvida pelo servidor designado consistirá, no que couber, em: I – zelar pelo fiel cumprimento dos contratos sob sua responsabilidade, inclusive quanto ao cumprimento do prazo de execução dos serviços; II – controlar as ocorrências relacionadas à frequência dos funcionários junto ao preposto da contratada, tais como: faltas, atrasos e reposições e confrontando com as informações da fatura e documentando em registro próprio firmado juntamente com o preposto da contratada; III – verificar se o número de empregados alocados na prestação de serviços está de acordo com o contrato firmado, observando as referidas atribuições e salários; IV – fiscalizar a boa aparência dos empregados cobrando o uso diário do uniforme,quando for o caso, e de crachá de identificação; V – verificar se a prestação de serviços, o fornecimento de produto e a execução de obras se desenvolvem de acordo com o contrato ou instrumento que o substitua no que concerne a prazos, projetos, especificações, valores, condições da proposta da empresa e demais documentos presentes e essenciais à consecução do pretendido pela Administração; VI – controlar o emprego de materiais durante a execução dos serviços, principalmente quanto à quantidade e à qualidade deles, rejeitando os que estiverem em desacordo com o estabelecido no instrumento de contrato ou na proposta da contratada; VII – solicitar à empresa contratada e manter atualizada a relação dos empregados contendo: nome, endereço, telefone, registro profissional nas entidades afins, quando for o caso, CPF, RG, data de ingresso na empresa contratada e no INPA; VIII – solicitar livro de ocorrências que deverá estar assinado em conjunto com o preposto da contratada; IX – oficiar a empresa contratada quando houver necessidade de substituição de nota fiscal/fatura informando os dados corretos a constar no documento; X – efetuar o recebimento provisório, nos casos de obras e serviços, mediante termo circunstanciado assinado pelas partes; XI – verificar se o documento fiscal apresentado contém: a) discriminação do serviço ou do material e o valor cobrado; b) data de emissão do documento (mesmo mês da prestação do serviço ou fornecimento do produto); c) dados do INPA; d) natureza da operação em conformidade com o objeto contratado; e) dados cadastrais da empresa: nome, CNPJ e domicílio bancário. XII – exigir a apresentação de certidões negativas de débito da Fazenda Nacional, do INSS e do FGTS para liberação dos pagamentos; XIII – providenciar projeto básico ou termo de referência quando não houver interesse em renovação contratual pela Administração ou por ter fracassada a negociação de valor contratual; XIV – elaborar o relatório de acompanhamento mensal do contrato de maneira clara e concisa de forma que não pairem dúvidas quanto às informações ali registradas informando o desconto das horas ou dias não trabalhados pelos profissionais ou encarregados, quando ocorrerem. § 1º – O relatório previsto no inciso XIV deste artigo deverá conter: a) mês de competência a que diz respeito; b) data de emissão, assinatura e identificação do responsável pela sua elaboração; c) a avaliação do desempenho dos profissionais e encarregados, bem como a qualidade dos serviços prestados. § 2° – O relatório de acompanhamento mensal do contrato deverá ser juntado ao processo administrativo de contratação e encaminhado uma cópia à contratada, mediante recibo, até o último dia do mês de referência, para que ela tome conhecimento efetue os descontos porventura existentes na fatura/nota fiscal. Art. 6º – O fiscal do contrato deve se reportar preferencialmente ao encarregado/preposto da contratada, sendo-lhe vedado dirigir-se diretamente aos profissionais da contratada para advertência ou para execução de tarefas. Parágrafo único – Deverá, ainda, ser observado que os profissionais da contratada não poderão desempenhar, sob qualquer pretexto, funções não definidas no contrato e nos seus aditivos e, muito menos, poderão ser utilizados para realização de tarefas particulares. Art. 7º – As decisões e providências que ultrapassarem a competência do responsável pela fiscalização deverão ser solicitadas aos seus superiores em tempo hábil para adoção de medidas convenientes. Art. 8º – Caso o servidor designado não cumpra com as atribuições que lhe foram delegadas será apurada a sua responsabilidade por meio de processo administrativo específico, observada a legislação pertinente.
Appears in Collections:Portarias

Files in This Item:
There are no files associated with this item.


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons