Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.inpa.gov.br/handle/1/37585
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorRibas, Camila Cherem.-
dc.contributor.authorCanton, Roberta de Castro.-
dc.date.accessioned2021-04-16T18:41:31Z-
dc.date.available2021-04-16T18:41:31Z-
dc.date.issued2014-06-30-
dc.identifier.urihttps://repositorio.inpa.gov.br/handle/1/37585-
dc.description.abstractBrotogeris sanctithomae is a parakeet of the Amazonian floodplain forests, recognized by its yellow forehead contrasting with its otherwise all-green plumage. Its two subspecies are distinguished by a yellow mark in the post-ocular region present in B. s. takatsukasae, of eastern Amazonia, and absent in B. s. sanctithomae, from the western portion. The two meet somewhere near Manaus, although their geographical limits are not clear in the literature. Despite the phenotypic differences and distinct distributions, a recent phylogenetic analysis of Brotogeris did not find molecular covariance (ND2, cytochrome b intron 7 of beta-fibrinogen gene) that distinguishes the two taxa. We set out to understand the evolutionary processes related to the pattern of plumage differentiation between the two subspecies, and to determine the geographic distribution of phenotypic and genotypic variation. We sampled throughout the stretch of floodplains where the two subspecies replace one another (between Manacapuru and Parintins, Amazonas). We conducted a morphological analysis of these individuals and specimens in ornithological collections and developed SNP (Single Nucleotide Polymorphism) markers from ddRAD tags (double digested Restriction-site Associated DNA). Two genetic groups were found, corresponding with the phenotypic groups (subspecies). The two subspecies share most of the genome, diverging only in a few loci. These divergent loci were more strongly associated with iris color than presence/absence of the post-ocular mark. This character may maintain differentiation between the two subspecies via sexual selection, whereby morphologically distinct individuals tend not to pair. Hybridization occurs in a restricted region between the distributions of the pure phenotypes. Recognition of hybrids in a narrow region without geographic barriers, rather than gradual phenotypic and genotypic variation on a long cline, suggests secondary contact between populations previously differentiated in allopatry.en
dc.language.isoporpt_BR
dc.publisherInstituto Nacional de Pesquisa da Amazônia - INPApt_BR
dc.rightsAttribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil*
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/3.0/br/*
dc.subjectGenética de populaçõespt_BR
dc.subjectPsitacídeospt_BR
dc.subjectSNPspt_BR
dc.titleAnálise da variação fenotípica e genotípica do complexo Brotogeris sanctithomae (Aves: Psittaciformes)pt_BR
dc.typeDissertaçãopt_BR
dc.contributor.co-advisorHrbek, Tomas-
dc.contributor.co-advisorCohn-Haft, Mario-
dc.identifier.author-latteshttp://lattes.cnpq.br/5236627240676758pt_BR
dc.publisher.programGenética, Conservação e Biologia Evolutiva - GCBEvpt_BR
dc.description.resumoBrotogeris sanctithomae é um psitacídeo da várzea amazônica, conhecido na região como "periquito-estrela", devido à testa amarela contrastando com o resto da plumagem verde. Suas duas subespécies se diferenciam por uma mancha amarela na região pós-ocular, presente em B. s. takatsukasae, que ocorre na região leste da várzea amazônica, e ausente em B. s. sanctithomae, da porção oeste. As duas subespécies se encontram próxima a Manaus, embora seus limites geográficos não estejam claros na literatura. Apesar das diferenças fenotípicas e distribuições distintas, uma recente análise filogenética do gênero Brotogeris não encontrou covariação molecular (ND2, citocromo b e íntron 7 do gene beta-fibrinogênio) que distinga os dois táxons. Realizamos este estudo para entender os processos evolutivos relacionados ao padrão de diferenciação de plumagem entre as duas subespécies, bem como caracterizar a distribuição geográfica das variações fenotípicas e genotípicas. Para tanto, realizamos coletas na região ao longo do trecho de várzea onde as duas subespécies se substituem (entre Manacapuru e Parintins, Amazonas). Realizamos também uma análise morfológica desses indivíduos e de espécimes de coleções ornitológicas e desenvolvemos marcadores SNPs (Polimorfismo de nucleotídeo único) a partir de ddRAD tags (DNA associado aos sítios de restrição duas vezes digerido). Foram encontrados dois grupos genéticos, correspondentes aos grupos fenotípicos (subespécies). As duas subespécies compartilham a maior parte do genoma, divergindo-se em apenas alguns poucos locos. Estes locos divergentes apresentaram associação mais forte à cor de íris do que à mancha pós-ocular. Esta característica possivelmente mantém a diferenciação entre as duas subespécies através de seleção sexual, em que os indivíduos morfologicamente distintos tendem a não se reconhecer como parceiros. Ocorre hibridização em uma região restrita, no contato das distribuições dos fenótipos puros. Reconhecimento de híbridos numa região estreita sem barreiras geográficas evidentes, em vez de variação fenotípica e genotípica gradativa ao longa da distribuição toda, sugere contato secundário entre populações previamente diferenciadas em alopatria.pt_BR
Appears in Collections:Mestrado - GCBEv

Files in This Item:
File SizeFormat 
tese_inpa.pdf743,15 kBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons