Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.inpa.gov.br/handle/1/37675
Title: Ecologia populacional de Triatoma maculata (Erichson, 1848) em três áreas rurais de Roraima, Brasil
Authors: Santos, Walter Souza
metadata.dc.contributor.advisor: Barrett, Toby Vincent
metadata.dc.contributor.co-advisor: Abad-Franch, Fernando
Issue Date: 1-Aug-2008
metadata.dc.publisher.program: Entomologia
Abstract: Triatoma maculata is a triatomine species adapted to human environments in northern Amazonia (state of Roraima, Brazil) and in parts of Venezuela and Colombia. It acts as an important vector of Chagas disease in Venezuela. In Roraima, populations of this species occur in wild, peridomestic and domestic (rural and urban) ecotopes, and have bionomic traits typical of a competent vector species. However, the ecology and epidemiological significance of these populations remain poorly understood. This project aimed at identifying and describing the features (structural and biotic) of artificial environments (houses and peridomestic areas) that may modulate the likelihood of infestation and colonization of those environments by T. maculata in rural Roraima; we also incorporated information on the way local residents relate to these synanthropic bugs and on their views of the associated health risks. Entomological surveys were carried out in 159 domiciliary units (DUs) of three rural areas (Uiramutã, Serra da Moça and Serra Tepequém). A KAP (knowledge, attitudes and practices) survey on Chagas disease and its vectors was conducted concomitantly. After the initial, exploratory analyses, inferential multivariate analyses were applied to the data. We built multivariate logistic regression models (and sets of models) and assessed their relative performance in a comparative framework using the Akaike Information Criterion with a correction for sample size (AICc). Covariates used to define the models described DU structural features (building materials, outbuildings etc.), the availability of food resources (domestic and opportunistic animals, humans), and control activities (insecticide spraying and/or others). The logit form of the best models (with lower AICc values) was used to assess the likely effects of different control interventions on the probabilities of infestation and colonization of the DUs by T. maculata. The standard entomological indices (over the three communities) were: overall infestation rate, 27,7%; colonization, 93,2%; density, ~12 specimens/DU; and crowding, ~47 specimens/infested DU. We collected 1,941 triatomines; colonies with >150 individuals were detected in five DUs. Vector presence was significantly less frequent in DUs of Serra Tepequém (6%) than in either Uiramutã (35%) or Serra da Moça (32%). Less than half of the residents knew Chagas disease, and only 32% of them mentioned triatomines as the transmission mechanism. The results of our modeling efforts suggested a key role for the combination of structural traits and food resource availability on the probability that a given DU was infested or colonized by T. maculata; models assessing structure and resources separately performed much worse. Mud walls without complete plastering and the number of chicken kept at the DU appeared as the main risk factors; however, the data suggest that these vector populations exploit alternative food resources, particularly rodents and humans. Trypanosoma cruzi transmission cycles are therefore more likely to emerge in DUs where abundant resources are available in the context of a suitable physical structure; the application of insecticides had no apparent effect. Control strategies should combine plastering walls (with locally available materials and technology), rodent population control, and a better management of poultry; traditional thatched roofs did not increase infestation probabilities. Malaria control strategies should be adapted (product formulation, application techniques etc.) so that their effects on synanthropic triatomine populations are optimized.
metadata.dc.description.resumo: Triatoma maculata é uma espécie de triatomíneo adaptada a habitats humanos no norte da Amazônia (estado de Roraima, Brasil) e em partes da Venezuela e na Colômbia. Ela atua como um vetor importante da doença de Chagas na Venezuela. As populações de T. maculata em Roraima ocupam ecotopos silvestres, peridomésticos e domésticos (rurais e urbanos), e têm as características bionômicas próprias de um vetor competente. Contudo, a ecologia e importância epidemiológica da espécie são pouco conhecidas. Este projeto teve como objetivo identificar e descrever as características (estruturais e bióticas) dos habitats artificiais (domicílios e peridomicílios) que modulam as probabilidades de infestação e colonização dos mesmos por T. maculata em áreas rurais do estado de Roraima, incorporando informação sobre as formas de relacionamento dos habitantes com os triatomíneos sinantrópicos e sua avaliação dos riscos associados. Inquéritos entomológicos foram realizados em 159 unidades domiciliares (UDs) de três áreas rurais de Roraima (Uiramutã, Serra da Moça e Serra Tepequém). Os conhecimentos, atitudes e práticas dos moradores sobre a doença de Chagas e seus vetores também foram avaliados. As análises dos dados foram feitas em duas etapas: uma exploratória e outra propriamente inferencial. Construímos modelos e grupos de modelos de regressão logística multivariada e analisamos seu desempenho de forma comparativa usando o Critério de Informação de Akaike corrigido para o tamanho amostral (AICc). As covariáveis utilizadas na definição dos modelos descreviam traços estruturais das UDs (materiais de construção, anexos etc.), a disponibilidade de recursos alimentares para os vetores (animais domésticos e oportunistas, habitantes humanos) e a realização de ações de controle (aplicação de inseticidas e/ou outras). A forma logit dos melhores modelos (com valores menores de AICc) foi utilizada para avaliar os efeitos previsíveis de diferentes ações de controle sobre as probabilidades de infestação e colonização das UDs. Os índices entomológicos padrão (nas três comunidades estudadas) foram: taxa de infestação geral, 27,7%; colonização, 93,2%; densidade, ~12 indivíduos/UD; e aglomeração, ~47 indivíduos/UD infestada. Coletamos 1.941 espécimes; colônias de >150 indivíduos foram detectadas em 5 UDs. A presença de vetores foi significativamente menos freqüente nas UDs da Serra Tepequém (6%) do que no Uiramutã (35%) e na Serra da Moça (32%). Menos da metade dos entrevistados conheciam a doença de Chagas, e somente 32% relacionaram a transmissão da mesma com os triatomíneos. Os resultados da modelagem das probabilidades de infestação e colonização de UDs por T. maculata sugerem um papel chave da combinação de elementos estruturais e recursos alimentares; os modelos que avaliaram estrutura e recursos separadamente tiveram muito pior desempenho. As paredes de barro não rebocadas e o número de galinhas apareceram como os principais fatores de risco; contudo, os vetores exploram fontes alternativas de alimento, como roedores e humanos. Assim, os ciclos de transmissão de Trypanosoma cruzi por T. maculata têm maiores probabilidades de aparecer em UDs nas quais recursos abundantes estão disponíveis no contexto de uma estrutura física adequada; a aplicação de inseticidas nas UDs não teve nenhum efeito aparente. As estratégias de controle deveriam combinar a aplicação de reboco (utilizando materiais e tecnologia disponíveis nas comunidades), o controle das populações de roedores e um manejo adequado das aves domésticas; os tradicionais tetos de folhas de palmeira não aumentaram as probabilidades de infestação. As estratégias de controle de vetores de malária deveriam ser adaptadas (formulação do produto, técnicas de aplicação) para aumentar seus efeitos sobre as populações sinantrópicas de triatomíneos.
Appears in Collections:Mestrado - ENT

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertação mestrado Walter.pdfDissertação5,54 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons