Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.inpa.gov.br/handle/123/1061
Título: The Rise and Fall of a Population of Hyla boans: Reproduction in a Neotropical Gladiator Frog
Autor(es): William Ernest Magnusson
Jean Marc Hero
Maria Carmosina de Araújo
Albertina Pimentel Lima
Assunto: Rise
Hyla boans
Neotropical
ISSN: 0022-1511
Revista: Journal of Herpetology
Volume: 33
Resumo: A population of Hyla boans was studied in central Amazonian rainforest during 15 years. The species differs from other intensively-studied gladiator frogs, Hyla rosenbergi and Hyla faber, in that males reach larger sizes than females, most reproduction is in the dry season, males call mainly from trees and rarely from nest basins, and most nest basins have aquatic connections to streams. Many adults (15% of females, 21% of males) were captured over more than one breeding season, and some were captured over five breeding seasons. Sizes of juveniles, and growth of one individual, indicate that males require at least two years between hatching and entering the breeding population. Daily calling was bimodal, with peaks after dusk and before dawn. Rainfall reduced calling activity during the peak of the breeding season. The population at the site declined to zero density after nine years of study and the site still had not been recolonized six years later. The exponential rate of decline of the population (-0.58) was more than three times the exponential rate of increase (0.15) at the beginning of the study. /// Reprodução de uma população de Hyla boans foi estudado em floresta tropical úmida na Amazônia central durante 15 anos. A espécie difere de outras espécies do grupo que tem sido estudados intensivamente, Hyla rosenbergi e H. faber, em que a maior parte da reprodução ocorre na época seca, machos atingem tamanhos maiores que fêmeas, chamam principalmente de árvores e raramente de bacias de nidificação, e a maioria das bacias de nidificação tem conecções aquáticas com os riachos. Muitos adultos (15% de fêmeas e 21% de machos) foram capturados sobre mais que uma estação reprodutiva, e alguns foram capturados sobre cinco estações reprodutivas. Os tamanhos de jovens, e crescimento de um indivíduo, indicam que machos requerem pelo menos dois anos depois da eclosão para entrar na população reprodutiva. Vocalização diária foi bimodal, com picos depois do crepúsculo e antes do amanhecer. Chuva reduziu atividade de vocalização durante o pico da época de reprodução. A população local foi extinta depois de 9 anos e o sítio de estudo ainda não foi recolonizado depois de seis anos. A taxa exponêncial de declínio na população (-0.58) foi mais que três vezes a taxa exponêncial de aumento (0.15) no começo do estudo.
URI: http://repositorio.inpa.gov.br/handle/123/1061
ISSN: 0022-1511
DOI: https://dx.doi.org/10.2307/1565582
Aparece nas coleções:Coordenação de Biodiversidade (CBIO)

Arquivos associados a este item:
Não existem arquivos associados a este item.


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons