Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.inpa.gov.br/handle/123/3542
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.authorZanchi, Fabrício B.
dc.contributor.authorWaterloo, Maarten J.
dc.contributor.authorBart Kruijt
dc.contributor.authorKesselmeier, Jürgen
dc.contributor.authorLuizão, Flávio J.
dc.contributor.authorAntonio Ocimar Manzi
dc.contributor.authorDolman, Albertus J.
dc.date.accessioned2016-02-26T21:28:23Z-
dc.date.available2016-02-26T21:28:23Z-
dc.date.issued2012
dc.identifier.issn0044-5967
dc.identifier.urihttp://repositorio.inpa.gov.br/handle/123/3542-
dc.description.abstractRespiração do solo possui um importante papel no ciclo do carbono em florestas tropicais Amazônicas. Entretanto poucas medidas de respiração do solo foram feitas. Neste estudo são apontados os efeitos na metodologia de instalação dos anéis no solo, bem como os efeitos da precipitação e a distribuição espacial da emissão de CO2 na Amazônia central. Os efeitos da inserção de anéis no solo aumentaram de 13 a 20% para o solo arenoso e argiloso, o efeito durou de 4 a 7 horas, respectivamente. Já os efeitos na precipitação, notamos que os eventos abaixo de 2 mm a respiração do solo permaneceu indiferente, mas para precipitação acima de 3 mm, 2 horas depois, houve uma diminuição da temperatura e respiração em 10 a 34% para o solo argilosos e arenosos, retornando a emissão normal após 15 a 18 horas. Para estimar a distribuição espacial da respiração do solo e o tamanho correto das áreas medidas, foram utilizadas as imagens do Shuttle Radar Topographic Mission (SRTM). Considerando que a Reserva de Campina é um mosaico de solo desnudo, floresta alagável de baixa e alta estatura (SHF e THF). A emissão total média de CO2 para a área foi de 3.08±0.8 µmol CO2 m-2 s-1. Já a Reserva do Cuieiras possui outro mosaico de florestas de platôs, encostas, Campinaranas e riparias, sendo a emissão média total desta área foram de 3.82±0.76 µmol CO2 m-2 s-1. Encontramos também que a respiração do solo foi controlada pela temperatura do solo, sendo uma correlação de 90% encontrada pela análise de regressão. Dados obtidos com sistema automático de respiração do solo é uma grande oportunidade de melhoramento da técnica e o aumento da confiança nas medidas em relação aos possíveis fatores que controlam os processos de emissão de CO2 do solo.
dc.languageInglês
dc.rightsLivre
dc.titleSoil CO2 efflux in central Amazonia: environmental and methodological effects
dc.typeArtigo
dc.description.volume42
dc.publisher.periodicoActa Amazonica
dc.identifier.doihttps://dx.doi.org/10.1590/S0044-59672012000200001
Aparece nas coleções:Coordenação de Dinâmica Ambiental (CDAM)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
soilco.pdf1,58 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons