Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.inpa.gov.br/handle/123/5845
Título: Critérios e indicadores para a criação de uma unidade de conservação nas savanas de Roraima
Autor(es): Flavia dos Santos Pinto
Tharsila Tratvetter Carranza
Edwin Hermanus Keizer
Reinaldo Imbrozio Barbosa
Ciro Campos
Sylvio Romério Briglia Ferreira
Larissa Diehl
Luciana Surita da Mota Macedo
Jose Julian Rodriguez Quitiaquez
Renata Bocorny
Assunto: Amazônia - Roraima
Biodiversidade
Ecologia - Roraima
ISSN: 1981-5409
Revista: Boletim ARPA (Áreas Protegidas da Amazônia)
Volume: 2
Resumo: A Amazônia é constituída, além de florestas, por áreas abertas como as Savanas e Campinas. As Savanas representam 13% da Amazônia Legal e possuem apenas 6% da sua área protegida, estando es- sas unidades localizadas na fronteira com o Bioma Cerrado (CAPO- BIANCO, 2001). Roraimapossui o maior bloco contínuo de savanas do Bioma Amazônia, que localmente é conhecido como “Lavrado” (BARBOSA et al., 2007). Apesar da sua importância para a representatividade dos ecossistemas existentes na Amazônia, o Lavrado não está protegido na forma de Unidades de Conservação (UCs). Assim, com o intuito de concretizar um plano para a criação em âmbito fe- deral de uma UC no Lavrado, uma articulação interinstitucional entre o Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), o IBAMA e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (INCRA) foi iniciada em 2004 e efetivada apenas em 2006 através do apoio do programa ARPA. O IBAMA formou um grupo de trabalho (GT) junto com o INPA e a Secretaria Municipal de Gestão Ambiental e Assuntos Indígenas do Município de Boa Vista (SMGA) para a escolha da área para criação da UC. Devido ao grande percentual de áreas protegidas federais em Roraima, principalmente Terras Indígenas (TIs), os participantes do GT acordaram que a área pretendida deveria ter a menor ocupação possível e não estar destinada a projetos oficiais do INCRA ou da Fundação Nacional do Índio (FUNAI), a fim de minimizar os conflitos sociais resultantes da sua indicação, ao mesmo tempo que contemplasse grande diversidade biológica e se alinhasse com os objetivos de conservação em âmbito regional. Esse texto trata do método adotado para a indicação da área para a criação da UC, pautado em critérios objetivos e quantificáveis que consideraram a falta de informação sistematizada sobre a biodiversidade do Estado
URI: http://repositorio.inpa.gov.br/handle/123/5845
ISSN: 1981-5409
Aparece nas coleções:Coordenação de Dinâmica Ambiental (CDAM)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Criterios_e_indicadores.pdf1,28 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons