Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.inpa.gov.br/handle/123/6137
Título: Estudo Fitossociológico nas Regiões de Carajás e Marabá - Pará, Brasil
Autor(es): Ralfh João Ribeiro
Niro Higuchi
Joaquim dos Santos
C P Azevedo
Assunto: Conservação Florestal
Manejo Florestal
Sociologia Florestal
ISSN: 0044-5967
Revista: Acta Amazonica
Volume: 29
Resumo: O estudo fitossociológico levou em consideração duas áreas localizadas em Carajás e Marabá, na região sul do Pará. A amostragem abordou dois níveis: 1) Indivíduos com DAP ≥ 20cm em parcelas de 20m x 200m e, II) Indivíduos com 5cm ≤ DAP ≤ 20cm em duas sub-parcelas de 10m x 10m no início c final das parcelas. Todos os indivíduos do segundo nível foram considerados como regeneração natural do povoamento adulto. Em Carajás utilizou-se 35 (trinta e cinco) unidades amostrais (parcelas) e em Marabá 22 (vinte c duas). Do ponto de vista de composição florística, asáreas estudadas apresentaram-se heterogêneas, com índices de Shanon-Weaver estimados em 3,66 e 3,71, respectivamente, para Carajás e Marabá. A equação hipsométrica comum que melhor ajustou os dados observados foi: h=[d2.38+0.1387h]2. As abundâncias médias foram 131,92 e 127,85 indivíduos/ha, respectivamente, para Carajás e Marabá. As estimativas de área basal foram 15,41 e 17,35 m2/ha nas regiões de Carajás e Marabá, respectivamente. A função de densidade I (Meyer) que melhor ajustou os dados de freqüência por classe de diâmetro (Fi) em função do centro de classe (DAP), para Carajás, foi Fi= e(9,56330614 - 0,07139847d) e Fi =e(8,96125691 - 0,06937877d) para Marabá. Também estimou-se que cerca de 36% das espécies existentes nas regiões estudadas possuem valor econômico no mercado madeireiro.
URI: http://repositorio.inpa.gov.br/handle/123/6137
ISSN: 0044-5967
DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1809-43921999292222
Local de publicação: Brasil
Aparece nas coleções:Coordenação de Dinâmica Ambiental (CDAM)

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
ESTUDO_FITOSSOCIOLOGICO.pdf2,17 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons