Please use this identifier to cite or link to this item: https://repositorio.inpa.gov.br/handle/1/37503
Title: Diversidade, variabilidade genética e aspectos filogeográficos de pequenos mamíferos não voadores do estado do Amapá
Authors: Silva, Cláudia R.
metadata.dc.contributor.advisor: Ribas, Camila Cherem
metadata.dc.contributor.co-advisor: Silva, Maria N. F. da
Keywords: Diversificação
roedores
Marsupiais
savana
Filogeografia
Issue Date: 26-Apr-2016
Publisher: Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia - INPA
metadata.dc.publisher.program: Genética, Conservação e Biologia Evolutiva - GCBEv
Abstract: Until recently, the Brazilian state of Amapá represented an important gap in the knowledge of the Amazonian non-volant small mammals. High genetic variability and structure are usually found in studies with small mammals, including species that occurs in Amapá and, more generally, at the Amazon basin. We organized a list, and distribution maps, of non-volant small mammals species for Amapá, compiling information found in scientific collections and inventories carried out over the last 12 years. Using relative abundance of species obtained from the inventories, we constructed a non-metric multidimensional scaling (NMDS) and an ordination with the Bray-Curtis index as dissimilarity measure. We used phylogenetic analysis with sequences of the mitochondrial gene cytochrome b (CITB) to verify genetic variability and/or taxonomic position for 28 species, which corresponds to approximately 70% of species that occur in state. For the two most abundant and widely distributed genera in the state, Proechimys and Marmosops, we conducted phylogeographic studies. For P. cuvieri and P. guyannensis we evaluate samples from Amapá and French Guiana to verify regional structure. For Marmosops, we increased our sampling including 18 species for phylogenetic analyses. We performed phylogeographic analyses to M. parvidens and M. pinheiroi. For both Proechimys and Marmosops, we build a phylogenetic tree, calculate genetic distance, elaborate a haplotype network, and estimate the time of divergence and historical demography. We recorded 41 species of small mammals for Amapá, including some endemic species of Amazonian savannas such as Sigmodon alstoni, and Zygodontomys brevicauda, as well as typical species of forest habitats such as Neacomys paracou and Marmosa lepida. We recorded 26 species in savanna environments, 31 in forest and 14 species in flooded environments. M. pinheiroi, P. guyannensis and P. cuvieri were the most abundant species, with wide distribution in the Amapá. We found that genetic distances ranged between 2% and 8% for the most of the species analyzed. We did not find a common structural pattern for all species, although we verified the clades formed in two sampling points on the river Jari for seven species. Time trees suggest that the diversification of Proechimys cuvieri, P. guyannensis, Marmosops parvidens and M. pinheiroi started during the Pleistocene. The Pleistocene environmental changes and the re-configuration of the drainage and mouth of the Amazon River have played an important role in the intraspecific diversification in Proechimys and Marmosops. We found high diversity and genetic variability for the small non volant mammals of the northeast of Amazon and this study unraveled cryptic diversity. This study uncovered cryptic diversity in species and provides important information for the biogeography of the Guyana region, with particularities and exclusiveness within this area of endemism.
metadata.dc.description.resumo: O estado do Amapá, até recentemente, figurava como grande lacuna no conhecimento da fauna de pequenos não voadores da Amazônia. Alta variabilidade genética e estruturação são encontradas nesses mamíferos distribuídos no Amapá e na Amazônia como um todo. Com intenção de verificar padrões de distribuição das espécies no Estado e a diversidade dessa fauna organizamos uma lista de espécies de pequenos mamíferos e mapas de distribuição. Usando abundância relativa das espécies, obtidas com inventários, construímos um escalonamento não métrico multidimensional (NMDS) e uma ordenação com o índice de Bray-Curtis como medida de dissimilaridade. Investigamos a variabilidade genética e posição taxonômica de 28 espécies, que representam aproximadamente 70% das espécies com ocorrência conhecida para o Amapá, inferindo árvore filogenética com o gene mitocondrial Citocromo b (CITB). Para os dois gêneros mais abundantes e amplamente distribuídos no estado, o roedor Proechimys e o marsupial Marmosops, realizamos estudos filogeográficos. Para P. cuvieri e P. guyannensis avaliamos amostras distribuídas no estado do Amapá e Guiana Francesa para verificar padrões regionais de estruturação. Em Marmosops construímos uma árvore filogenética para 18 espécies do gênero e, destinamos a investigação filogeográfica para M. parvidens e M. pinheiroi. Construímos para ambos os estudos, Proechimys e Marmosops, árvore filogenética, distância genética, rede de haplótipos, estimamos os tempos de divergência e a demografia histórica. Para o estado do Amapá registramos 41 espécies de pequenos mamíferos. Essa fauna consiste de espécies características de savanas amazônicas como Sigmodon alstoni e Zygodontomys brevicauda, bem como de florestas, como Neacomys paracou e Marmosa lepida. No total registramos 26 espécies em áreas de savana, 31 em floresta e 14 em ambientes que sofrem inundação. M. parvidens, M. pinheiroi, P. guyannensis, P. cuvieri e Hylaeamys megacephalus foram as espécies mais abundantes e com ampla distribuição no Estado do Amapá. A maioria das espécies de pequenos mamíferos estudada apresentou estruturação intraespecífica, com distâncias genéticas variando entre 2% e 8%. Não encontramos um padrão comum para a estruturação em todas as espécies, embora tenhamos verificado a congruência na formação de clados, na região do rio Jari e sudeste do Estado para sete espécies. Verificamos variabilidade genética e estruturação em Proechimys e Marmosops durante o Pleistoceno. As alterações ambientais pleistocênicas e a configuração da rede de drenagem e estabelecimento da foz do rio Amazonas agiram como importantes agentes propulsores na diversificação e estruturação dessas espécies. Nós revelamos alta diversidade e variabilidade genética para os pequenos mamíferos não voadores do nordeste da Amazônia. Esse estudo desvendou diversidade críptica e fornece importantes informações para a biogeografia da região Guiana, com particularidades e exclusividades dentro desta área de endemismo.
Appears in Collections:Doutorado - GCBEv

Files in This Item:
File SizeFormat 
TESE_Claudia R Silva.pdf8,75 MBAdobe PDFView/Open


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons